PERMITA QUE DEUS SEJA JUIZ
14/09/2019 01:28 em Novidades

Ao ler o título você pode pensar, mas quem tem poder para impedir que Deus seja o que ele declarou ser?

Bem, na sua totalidade ninguém pode, tendo em vista que ele é soberano, mas, em alguns aspectos sim, e ao término desse texto você entenderá.

Hoje em dia muitos, inclusive grande parte dos que se dizem cristãos, tem agido tentando ocupar o lugar de Deus.

Alguns ao verem um irmão em pecado, pastores errando, qual tem sido o posicionamento deles frente a isso?

A resposta é fácil; se colocam como juízes, fazendo julgamentos, tecendo sentenças, tentando a todo tempo se colocar no lugar de Deus, pois só ele é juiz, e não somente um juiz, mas o justo juiz!

Vejamos o que diz apóstolo Tiago:

Há apenas um Legislador e Juiz, aquele que pode salvar e destruir. Mas quem é você para julgar o seu próximo? Tiago 4:12

Entende? Não podemos estar na posição de juízes julgando as pessoas, pois somente Deus é o Justo Juiz.

Porém, mesmo diante dessa e outras verdades contida na bíblia como ordenação de Deus, muitos tem ignorado e feito julgamentos, destruindo com isso as relações entres os irmãos, no seio da igreja, tornando a sua convivência entre os demais, insustentável. Agindo assim contribuem para a trevas e prestam um desserviço ao reino de Deus.

Será que essas pessoas que tentam usurpar a posição de Deus ficarão sem a sua devida correção? Claro que não!

Precisamos permitir que Deus seja Deus em nossos dias, agir como juiz, é em outras palavras dizer que Deus não tem capacidade para cumprir seu papel. Isso é uma blasfêmia cometida por aqueles que praticam tais atos, e como disse acima, muitos desses se dizem “cristãos espirituais”.

Ao assumirmos a posição de juiz, destruímos o plano de Deus para a relação social entre os irmãos, e por essa razão estamos vendo a todo momento divisões nas igrejas, causando evasão de membros para o mundo e um grande pula, pula de igreja em igreja. 

Isso tem feito, pastores imaturos, imaginarem que suas igrejas estão crescendo ao receberem esses membros vindo de outras igrejas. Esses pastores neófitos, não enxergam que a ordenação de Jesus é encher as igrejas de vidas que estavam perdidas no mundo.

Esse rodízio de igreja gera nos pastores neófitos o engano de que estão crescendo, mas na verdade, estão pastoreando rebelados, ao invés de novas criaturas.

A consequência é que logo esses membros que saíram de suas igrejas por causa da divisão que causam, farão o mesmo na nova igreja e novamente irão para outra e assim vão passar a vida, sem uma transformação verdadeira.

Quando temos de fato em encontro com a palavra entendemos que, uma vez nascidos de novo, não podemos viver nos relacionando de maneira conflituosa com os outros. 

Portanto, devemos estar de acordo com a soberana vontade de Deus, aceitando e acatando que ele é o único legislador e juiz da vida, Ele é quem sempre terá a última palavra.

Pessoas carnais, ou que não passaram pelo novo nascimento tem prazer em destilar palavras ofensivas, fazer julgamentos, agem assim porque estão tentando seguir a Cristo sem renunciar primeiro a si mesmos.

Não deixar que Deus seja Deus, causa na igreja ou nos lares um ambiente toxico, onde a desconfiança sobre tudo paira no ar, dando a partir de então legalidade a satanás para implantar um clima de dúvida em todos, criando um ambiente de trevas, ele é o único que ganha com isso!

Temos um problema cultural que insiste em invadir as igrejas, é o disse-me-disse, isso só ganha força porque não deixamos Deus ser Deus em nossas vidas, igrejas e lares. Para isso não encontrara lugar em nosso meio devemos nos manter em nossa posição que é somente de servir a Deus, obedecer às suas ordenações, assim colheremos bençãos sem medidas sem dúvida alguma.

O apóstolo Tiago no versículo 11 trata da relação interpessoal entre os crentes, vejamos: Irmãos, não falem mal uns dos outros. Quem fala contra o seu irmão ou julga o seu irmão, fala contra a Lei e a julga. Quando você julga a Lei, não a está cumprindo, mas está se colocando como juiz. Tiago 4:11

Nós fomos chamados para ser discípulos e não juízes.

Deus é o justo juiz, porque julga a partir do que Cristo realizou em nosso favor. Ele é juiz, mas não é apenas juiz, ele é O JUSTO juiz. Justo porque simplesmente não poderia nos condenar tendo em vista que, agimos como agimos, por causa da atitude errada tomado por Adão e não por nós. 

Não fui eu e você quem entregou a humanidade a esse estado caído. Não fomos nós quem decidimos ouvir a voz do diabo e comer o fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal, então por que nos condenar? Não seria justo! 

Mas a boa notícia é que não é assim; Ele enviou Jesus para tomar o meu e o seu lugar; e o castigo que não trouxe a paz estava sobre ele... (Is 53:5b)

Entenda, Deus perdoa todos os pecados, mas não inocenta o culpado (Ex 34:6,7  Pv 17:15).  

Mas, como Deus perdoa e ao mesmo tempo pune? Ele pune porque “Deus odeia o que pratica o mal” (Sl 5:5). Por quê? Porque Ele é bom e justo. 

Mas ele também é amor, e por causa da sua natureza, ele não pode permitir que sua ira contra o pecado seja derramado sobre a humanidade, pois ele mesmo disse, que todos passaram a pecar porque o pecado entrou por meio de um, Adão.

Mas onde fica a sua justiça nesse caso? Simples, Deus escolheu derramar toda sua ira sobre Jesus ao invés de derramar sobre nós. Ele matou Jesus ao invés de nos matar. 

Jesus nos justificou, nos tornou justos (Isaías 53:5-10).

Te mostrei tudo isso, para você entender que a relação entre nós irmãos, deve ser a partir da compreensão que o próprio Deus, não age apenas como um juiz, mas sim, como o JUSTO JUIZ. Pense, se ele se relacionasse conosco apenas como juiz, quem de nós estaria livre da punição do inferno?

A resposta é fácil, ninguém!

Diante dessa compreensão uma pergunta é inevitável: se Deus não age apenas como Juiz, por que você agiria assim? Por que julga seus irmãos?

Quem busca estabelecer condições para amar o próximo não pode ser considerado discípulo de Jesus. Quem busca condições para ter comunhão com os irmãos dentro da igreja, não tem o entendimento exercitado pela palavra (Hb 5:14).

Não devemos colocar condições pois o próprio Deus não coloca, ele ama porque ele é amor.

Amados, amemo-nos uns aos outros, pois o amor procede de Deus. Aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus.  Quem não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor.  1 João 4:7,8

A única condição para amar é conhecer a Deus, uma vez o conhecendo, amamos. 

Os “juízes” que estão nas igrejas agem diferente, só ama e se relacionam, com os “perfeitos”, essa é a condição.

Veja mais o que Deus nos ensina: Há apenas um Legislador e Juiz, aquele que pode salvar e destruir. Mas quem é você para julgar o seu próximo? Tiago 4:12

Deus nos lembra o quanto somos falhos quando diz .... Mas quem é você para julgar o seu próximo? Isso nos mostra de forma clara que não podemos nos colocar como juiz do outro, não temos competência para isso.

Portanto, antes de emitir uma palavra de julgamento contra uma pessoa, responda a esta questão: “Tu, porém, quem és, que julgas a outrem?”. Nos versículos seguintes, Deus fez questão de nos mostrar o quantos somos insignificantes e impotentes, e de nos mostrar que ele é soberano.

Somos tão pequenos que não sabemos o dia de amanhã, teríamos então condições de julgar o outro?

Vocês nem sabem o que lhes acontecerá amanhã! Que é a sua vida? Vocês são como a neblina que aparece por um pouco de tempo e depois se dissipa. Tiago 4:14

O pecado nos torna arrogantes, ao ponto de acharmos que somos superiores, ao ponto de nos colocarmos como juízes. Mas, ao nos redermos a essas verdades, só nos resta nos colocar na posição que fomos chamados e servir a Deus, amando o próximo, estendendo as mãos aos caídos. Somos chamados para ser discípulos e não juízes.

Como discípulos devemos ouvir e executar os ensinamentos do nosso Senhor, e nesse caso, veja o que ele nos ordena a fazer.

Irmãos, se alguém for surpreendido em algum pecado, VOCÊS, QUE SÃO ESPIRITUAIS deverão restaurá-lo com mansidão. Cuide-se, porém, cada um para que também não seja tentado. Gálatas 6:1

Veja, os espirituais agem como restauradores de vidas, os pecadores, são arrogantes, soberbos, e sempre agem como JUIZES.

Mas veja o que acontecerá com esses:

A soberba precede à ruína; e o orgulho, à queda. Provérbios 16:18

Agora, porém, vocês se vangloriam das suas pretensões. Toda vanglória como essa é maligna. Tiago 4:16

E para terminar quero ainda dizer-lhes que não são poucos os que se comportam como verdadeiros juízes, ignorando que com a mesma medida com que medem os outros, eles mesmos serão medidos (Mc 4.24). 

Você não tem desculpa quando julga os outros. Quando você afirma que alguém é mau e deveria ser castigado, você está falando de si mesmo, pois esta sujeito a mesma coisa, e está condenando a si mesmo. Romanos 2:1

Em Cristo,

Apóstolo Marques

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
App Vivendo em Graça